Enem de 2014 teve ao menos 1.519 eliminações, diz ministro da Educação

O ministro da Educação, José Henrique Paim, informou neste domingo (9) que a edição de 2014 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) teve 1.519 eliminações, dentre os mais de 8,7 milhões de inscritos. Desses, 236 foram eliminados por uso de celular, nos dois dias de testes.

Em entrevista à imprensa, após o encerramento das provas, em Brasília, Paim disse que o número total de eliminações ainda pode subir, após atualização dos dados. "Nós temos registro na sala de aula que vão aparecer mais à frente", afirmou, citando como exemplos de causas, uso de relógios, tentativas de fraude ou perturbação nos locais de prova.

Ele também informou que as abstenções neste ano alcançaram o índice de 28,64%, contra 29% no ano passado. Em 2013, o total de eliminações chegou a cerca de 1.500, segundo o ministro. "Isso [eliminações] é lamentável, mas vamos continuar aperfeiçoando esse processo, para que qualquer tipo de perturbação ou de fraude seja coibida", disse.

Na entrevista, o ministro disse que a logística do teste mostrou um processo de consolidação neste ano. "Esse processo está consolidado e temos sem dúvida alguma um exame que abre cada vez mais oportunidades para jovens e trabalhadores do país. É uma política que vem gradativamente sendo melhorarada", disse.

Paim também foi questionado duas vezes sobre a dificuldade de inscritos para chegar ao local da prova, por morarem longe, o que levou muitos a perder o exame. Ele não respondeu se, no ano que vem, haverá mudanças na inscrição ou ampliação dos locais, por exemplo. "A questão do local de prova, depende, vamos ter que ver caso a caso. Vamos analisar", disse.

Neste ano, mais de 8,7 milhões pessoas se inscreveram no principal teste para ingresso no ensino superior público. Foi o número recorde de inscrições, desde a primeira edição do exame. O exame foi aplicado em 1.752 municípios, com 17.367 locais de provas e 242.948 salas.

No sábado (8), foram aplicadas provas de ciências humanas e ciências da natureza e neste domingo, as questões de matemática, e linguagens e códigos, além da redação.

Correção das provas e gabarito
Nos dois dias de prova, o G1 faz a cobertura em tempo real, com informações, fotos e vídeos da entrada dos candidatos nos locais de prova. Internautas também podem participar da cobertura enviando fotos e informações para o VC no G1.

Além disso, a partir das 19h (horário de Brasília), em programa ao vivo, professores do Curso e Colégio de A a Z, do Rio, e do Projeto Educação, da Globo Nordeste, comentam os níveis de dificuldade de cada uma das provas, o tema da redação e os pontos mais polêmicos das provas.

Candidatos que fizeram a prova poderão participar do programa enviando perguntas e comentários pela página da cobertura completa do Enem no G1.

G1 trará ainda a resolução das 90 questões preparadas pelos professores do Cursinho da Poli. O gabarito oficial do Enem será divulgado pelo MEC até quarta-feira (12).

Sábado teve 65 candidatos eliminados
Balanço divulgado ainda no sábado pelo Inep contabilizava  65 candidatos eliminados pelo uso de aparelhos eletrônicos. O MEC e seus parceiros institucionais monitoraram pelas redes sociais as postagens relacionadas ao Enem.

O uso de celular nas salas de prova é proibido. Na hora da prova, os candidatos foram instruídos a deixar os aparelhos eletrônicos em um envelope fornecido pelos fiscais, que é lacrado e deixado embaixo da carteira. Fora do envelope, o uso e posse do celular é condição para eliminação da prova, segundo o edital. No ano passado, 34 candidatos foram excluídos por terem postado fotos.

O MEC informou que mais de 17 mil detectores de metal foram usados no país para combater tentativas de fraude. O ministro da Educação, Henrique Paim, afirmou na sexta (7) que milhares de pessoas foram treinadas para usar o equipamento, com permissão para abordar candidatos a qualquer momento.

SÁBADO (8) - RECIFE (PE) - Colégio Santa Emília, onde candidata do Enem passou mal e morreu antes de começar a prova (Foto: Anna Tiago / G1)Colégio Santa Emília, onde candidata do Enem
passou mal e morreu antes do Enem
(Foto: Anna Tiago / G1)

Ainda no sábado, o Inep informou  que uma candidata morreu no local de provas, em Olinda, no Recife. A mulher de 31 anos faria o Enem e estava acompanhada do sobrinho e passou mal poucos minutos após entrar no Colégio Santa Emília, no bairro de Jardim Atlântico.

Muitos candidatos de estados do Brasil que não aderiram ao horário de verão acabaramfazendo confusão e chegando atrasadosao local de prova.

No Distrito Federal, duas candidataspularam a grade de uma escola na Asa Sul, em Brasília, porque chegaram depois do fechamento dos portões. As duas meninas pularam a grade da escola com a ajuda de pessoas que estavam do lado de fora do colégio. Fiscais teriam tentado impedir que elas entrassem no colégio e fizessem as provas. O Ministério da Educação afirmou que as duas acabaram eliminadas.

Fonte: g1

Contato

HJ Noticias Rua Teresina, 493 - Bairro Henrique Jorge
Fortaleza
60521094
85 86937910 irapuanmoreira@gmail.com